Glossário Letra P

Letra P

Partes Comuns
Um condomínio integra espaços de propriedade privada (as frações autónomas) e outros de propriedade partilhada (as Partes Comuns). A lei define como Partes Comuns os seguintes espaços de um edifício: - Solo, alicerces, colunas, pilares, paredes-mestras e todas as partes restantes que constituem a estrutura do edifício; - Telhado (ou os terraços de cobertura, ainda que destinados ao uso específico de uma fração); - Entradas, vestíbulos, escadas e corredores de uso ou passagem comum a dois ou mais condóminos; - Instalações gerais da água, eletricidade, aquecimento, ar condicionado, gás, comunicações e semelhantes. Se o título constitutivo nada indicar em contrário, consideram-se ainda Partes Comuns: - Elevadores; - Pátios e jardins anexos ao edifício; Dependências destinadas ao uso e habitação do porteiro; - Garagens; - Todos os espaços que não sejam definidos no título constitutivo como sendo de uso exclusivo de um dos condóminos.

Participação de Acidentes
Documento, a preencher e assinar pelo Segurado, com o objetivo de informar a seguradora da ocorrência de um evento suscetível de estar coberto (sinistro) pela apólice ou contrato, descrevendo e identificando as suas circunstâncias, dimensão dos danos, intervenientes, etc. Constitui uma obrigação legal e contratual do Segurado ou da Pessoa Segura. Ver, também, (DECLARAÇÃO AMIGÁVEL DE ACIDENTE AUTOMÓVEL)

Pensionista (de Seguros)
​Beneficiário legal de uma pensão devida por Acidente de Trabalho.

Período de Carência
Espaço de tempo, fixado nas Condições Gerais e/ou Particulares, que medeia entre o início do Contrato ou a data de admissão, se posterior, e a data de entrada em vigor das coberturas garantidas pelas Apólices de Acidentes Pessoais, Doença, Saúde, etc. Ver, também, (FRANQUIA).

Peritagem/Averiguação
Atividade cujo objetivo principal consiste em estimar o valor dos danos, muitas vezes a par da análise (averiguação) das causas e circunstâncias de um sinistro. Ver, também, (PERITO).

Pessoa(s) Segura(s) ou Segurado(s)
Pessoa ou entidade no interesse da qual o contrato é celebrado (Ou os seus legais representantes, identificados nas Condições Particulares, se não se tratar de pessoa singular):
O cônjuge do Segurado não separado judicialmente de pessoas e bens, que com ele viva em economia comum;
A pessoa que com o segurado viva em condições análogas às dos cônjuges;
Os filhos, adotados e enteados do Segurado que com ele vivam em economia comum nomeadamente os menores não emancipados, os maiores a cargo, com idade inferior a 25 anos ou inaptos para o trabalho e para angariarem meios de subsistência;
Os ascendentes do Segurado que estejam a seu cargo.
Pode ou não corresponder ao Tomador do Seguro.

Plano Poupança Reforma (PPR)
Os PPR são um investimento de médio e longo prazo que preveem a constituição de um complemento de reforma com características de flexibilidade de investimento, de boa rentabilidade e elevados benefícios fiscais.

Prazo do Contrato
Período durante o qual se vai rentabilizar as poupanças confiadas.

Pré-autorização
Declaração emitida pela Allianz Portugal, após consulta prévia e obrigatória pelo Tomador de Seguro ou Pessoa Segura, relativamente ao exercício de alguma prestação prevista no Contrato de Seguro.

Prémio
O preço do seguro, ou seja, é o valor total, incluindo taxas e impostos, que o tomador do seguro deve pagar ao segurador pelo seguro.

Prémio Bruto
Prémio comercial, acrescido das cargas relacionadas com a emissão do contrato, tais como o fracionamento, custo de apólice, atas adicionais e certificado de seguro.

Prémio Comercial
Custo teórico médio das coberturas do contrato, acrescido de outros custos, nomeadamente de aquisição e de administração do contrato, bem como de gestão e de cobrança.

Prémio Mínimo
Parcela mínima do Prémio Total que, em caso de opção pelo pagamento fracionado de prémios de seguro, a Seguradora aceita receber.

Prémio Total
Prémio bruto acrescido das cargas fiscais e parafiscais e que corresponde ao preço final, a pagar pelo Tomador de Seguro à seguradora, pela contratação do seguro.

Primeiro Risco
(Seguros de Multirriscos) Consiste na contratação de um capital seguro fixo que limita a indemnização em caso de sinistro. Nestes casos não se aplica a regra proporcional.

Proposta de Seguro
É o documento pelo qual o candidato a tomador de seguro ou os candidatos a tomador e pessoa segura, se forem diferentes, declaram a sua intenção de subscrever o contrato de seguro, que contém os dados individuais respetivos, necessários à avaliação do risco pela seguradora. As respostas ou informações a constar de uma Proposta, devem ser prestadas com verdade, boa-fé e sem reticências ou dissimulações por parte dos declarantes, uma vez que comprometem as condições da aceitação, e já que a Proposta passará, posteriormente, a fazer parte integrante do contrato de seguro.

Pro-Rata Temporis
Expressão latina, frequentemente utilizada na linguagem contratual, normalmente para definir o critério de cálculo de devolução da parte do prémio devido ao Tomador do seguro, em caso de o contrato cessar os seus efeitos antes da data inicialmente prevista para o fim da sua vigência. Com ela se pretende dizer que o valor de prémio a devolver é proporcional ao período de tempo pelo qual o contrato deixou de estar em vigor, tendo em consideração o prazo inicialmente contratado.

Prospeto Simplificado
Documento que possui informações como o gráfico de evolução de cotações, a Rendibilidade e o Risco Histórico. Permite ao cliente a informação útil para uma tomada de decisão mais sensata e consistente antes de subscrever o produto financeiro.

Proteção de Dados (informação básica)
A proteção da sua Privacidade é um compromisso e uma prioridade absoluta para a Allianz Portugal. Aconselhamos que leia atentamente a nota de informação resumida relativa ao tratamento de Dados Pessoais aqui